um infinito de informações: saúde, meio ambiente, inclusão social, qualidade de vida e mais...

Como os raios UV podem ser nocivos para sua pele?

Entenda a importância de redobrar o cuidado no verão e proteger a pele contra os raios UV

img

Estudos mostram que 70% ou mais da radiação solar que recebemos durante a vida é adquirida no dia a dia e, somente 30% da radiação é obtida durante momentos de lazer. Por isso, a Sociedade Brasileira de Dermatologia reforça a necessidade do uso de chapéus, blusas e óculos com proteção UV, barracas e protetores solares, sendo essas algumas das medidas fotoprotetoras básicas que precisam ser praticadas durante o ano, mesmo em dias nublados ou durante o trabalho. O protetor solar deve ter sempre um fator de proteção (FPS) 30 ou maior.

 

A Sociedade Brasileira de Dermatologia lembra ainda que o brasileiro ama o sol e que, com a chegada do verão e das altas temperaturas, todos devem redobrar os cuidados para prevenir o tumor de pele. Os grupos de maior risco são indivíduos de pele clara, com sardas, cabelos claros ou ruivos e olhos claros. Além destes, os que possuem antecedentes familiares com histórico da doença, queimaduras solares, incapacidade para se bronzear e muitas pintas também devem ter atenção e cuidados redobrados.

 

O Brasil é um dos países com maiores índices de radiação solar ultravioleta. Mas afinal, o que é isso?

 

É a mais forte radiação eletromagnética emitida pelo sol e, portanto, oferece muitos perigos para os seres vivos presentes no planeta. Quando os raios UV atingem a pele, podem alterar suas células e provocar envelhecimento precoce, reações fotoalérgicas, alterações imunológicas e câncer de pele. A superfície terrestre recebe uma incidência menor desses raios graças à camada de ozônio, que nos protege de seus malefícios, atuando como um escudo.

 

E vale um alerta: não importa se o dia está claro ou nublado, os raios UV atingem a pele da mesma forma. Isso acontece porque as nuvens não filtram os raios ultravioletas. Além disso, como no mormaço as pessoas não sentem calor, elas costumam ficar mais tempo expostas aos raios UV.

 

Saiba reconhecer o IUV: É um padrão internacional de medição da força de raios ultravioleta (UV) em um determinado lugar e tempo e tem como objetivo ajudar as pessoas a efetivamente protegerem-se da radiação UV, que tem benefícios para a saúde em doses moderadas, mas em excesso causa queimaduras solares, envelhecimento da pele, danos ao DNA, câncer de pele, entre outros.

 

ÍNDICE UV BAIXO (até 2)

 

ÍNDICE UV MODERADO (de 3 a 5)

 

ÍNDICE UV ALTO (de 6 a 7)

 

ÍNDICE UV MUITO ALTO (de 8 a 10)

 

ÍNDICE UV EXTREMO (acima de 11)

* Esta ferramenta não fornece aconselhamento médico. destina-se apenas a fins informativos gerais, não pretende concluir nenhum diagnóstico e não aborda circunstâncias individuais. Não é um substituto do aconselhamento ou acompanhamento de profissionais da saúde. Alertamos que o diagnóstico e o tratamento não devem ser baseados neste site para tomar decisões sobre sua saúde. Jamais ignore o conselho médico profissional por algo que leu no www.saude.com.br. Se tiver uma emergência médica, ligue imediatamente para o seu médico.

  • Esta matéria pertence ao acervo do saude.com.br