um infinito de informações: saúde, meio ambiente, inclusão social, qualidade de vida e mais...

Chocolate amargo pode ajudar a emagrecer

Estudo mostra que o chocolate amargo pode ser um aliado ao emagrecimento

img

O chocolate tem cerca de 500 calorias em 100 gramas, e sempre foi o inimigo número 1 de qualquer cardápio. As pessoas pensam, definitivamente, que o doce não pode fazer parte de nenhuma refeição saudável. Mas não se desespere! Uma pesquisa publicada na revista científica International Journal of Obesity dá um alento aos apaixonados pela guloseima: dependendo da concentração de cacau, ele pode ajudar o ponteiro da balança a descer.

O chocolate tipo amargo (com maior concentração de cacau) aumenta a sensação de saciedade. Dois grupos participaram do estudo e o que comeu chocolate amargo pela manhã, ainda em jejum, não sentiu desejo por doce. Resultado: consumiu 15% menos calorias ao longo do dia, em comparação ao grupo que optou pelo chocolate ao leite.

Vale ressaltar que esses 15% não são pouca coisa. Uma mulher de altura e peso medianos (1,65 metro e 58 quilos) consome cerca de 2 mil calorias diárias para manter a saúde funcionando a pleno vapor e as curvas no lugar. Assim, se reduzir o consumo em 15%, economizará 300 calorias por dia. Isso significa um almoço leve, com saladinha verde, uma porção pequena de macarrão com molho de tomate e um bife pequeno. E, se você fizer uma caminhada em ritmo de passeio, gastará 360 calorias em uma hora. Ainda acha pouco?

Muitos nutricionistas incluem uma pequena porção de chocolate amargo nas dietas de emagrecimento. O motivo? Algumas substâncias do cacau, como a 2-feniletilamina e a N-aciletanolamina, agem no cérebro fechando os receptores que pedem doce. Quando o desejo de açúcar diminui, fica bem mais fácil controlar a balança.

Lembre-se: para o emagrecimento, é bom optar pelo tipo amargo. E, lógico, ingerir uma porção diária moderada – 30 gramas, o equivalente a uma barra pequena ou dois bombons também pequenos. Aproveite, mas com equilíbrio, essa delícia!

* Esta ferramenta não fornece aconselhamento médico. destina-se apenas a fins informativos gerais, não pretende concluir nenhum diagnóstico e não aborda circunstâncias individuais. Não é um substituto do aconselhamento ou acompanhamento de profissionais da saúde. Alertamos que o diagnóstico e o tratamento não devem ser baseados neste site para tomar decisões sobre sua saúde. Jamais ignore o conselho médico profissional por algo que leu no www.saude.com.br. Se tiver uma emergência médica, ligue imediatamente para o seu médico.

  • Esta matéria pertence ao acervo do saude.com.br