img

Panelas antiaderentes são seguras de usar?

Dependendo do material de fabricação da panela, é preciso ter certos cuidados para prevenir quaisquer riscos à saúde

As panelas e frigideiras antiaderentes estão conquistando cada vez mais espaço na cozinha de todo o mundo. O revestimento antiaderente é ótimo para cozinhar alimentos delicados que podem grudar na panela, como ovos ou panquecas. 

Contudo, existem controvérsias em torno de revestimentos antiaderentes, como o Teflon. Enquanto alguns afirmam que podem ser prejudiciais à saúde, outros insistem que são completamente seguros.

 

O que são panelas antiaderentes?

As panelas antiaderentes são revestidas com um material chamado politetrafluoretileno (PTFE), também conhecido como Teflon. O Teflon é um produto químico sintético composto de átomos de carbono e flúor criado na década de 1930, que oferece uma superfície antiaderente, não reativa e quase sem atrito.

Por conta da qualidade da superfície antiaderente, as panelas revestidas com esse material são convenientes de usar e fáceis de limpar. Além disso, por precisar apenas de pouco óleo, azeite ou manteiga, acabam sendo uma maneira mais saudável de cozinhar e fritar alimentos. 

Entretanto, a segurança de panelas antiaderentes tem estado sob investigação na última década por conta de um produto químico chamado ácido perfluorooctanóico (PFOA), que era utilizado anteriormente na produção desse tipo de panelas, mas não é usado hoje. Ademais, as investigações também analisam os riscos associados ao superaquecimento do Teflon.

 

Exposição ao Teflon e PFOA

O PFOA foi utilizado na produção de Teflon até 2013. A maior parte do produto químico era queimado em altas temperaturas durante o processo de fabricação, mas uma pequena quantidade permanecia no produto final. 

O PFOA tem sido associado a vários problemas de saúde, como distúrbios da tireoide, doença hepática, doença renal crônica, infertilidade, baixo peso ao nascer e até câncer testicular. 

Além disso, foi encontrado no sangue de mais de 98% das pessoas que participaram da Pesquisa Nacional de Exame de Saúde e Nutrição dos EUA (NHANES) de 1999 a 2000. Dessa forma, o país criou um programa para estimular a eliminação do PFOA dos produtos de Teflon, com o objetivo de reduzir os riscos à saúde da população e ao meio ambiente. 

O programa cumpriu o seu papel. Hoje, todos os produtos de Teflon são livres de PFOA desde 2013. Portanto, os efeitos à saúde da exposição ao produto químico não são mais motivo de preocupação.

 

Perigos do superaquecimento

Falando de um modo geral, o Teflon é um composto seguro e estável. Entretanto, em temperaturas acima de 260 °C, seus revestimentos em panelas antiaderentes podem começar a quebrar, liberando produtos químicos tóxicos no ar. 

A inalação dos gases pode levar à febre de fumaça de polímero, também conhecida como gripe do Teflon, que consiste em sintomas semelhantes aos da gripe, como calafrios, febre, dores no corpo e dor de cabeça. Os sintomas ocorrem após 4 a 10 horas da exposição à fumaça e geralmente passam dentro de 12 a 48 horas. 

Caso a exposição ao Teflon superaquecido acontecer em temperaturas mais extremas, de pelo menos 390 °C, e por períodos longos de mais de 4 horas, os efeitos colaterais podem ser mais graves, incluindo danos nos pulmões.

Contudo, embora os efeitos na saúde possam ser sérios, o uso de práticas culinárias de bom senso e o cuidado ao cozinhar com panelas com esse material é o suficiente para ajudar a evitar a exposição.

 

Dicas para minimizar o risco ao cozinhar

Existem várias maneiras de reduzir o risco ao cozinhar com panelas antiaderentes. Seguindo as precauções básicas de segurança, cozinhar com elas é seguro, saudável e conveniente. Confira as dicas abaixo:

  • Não pré-aqueça uma panela vazia. Panelas vazias atingem altas temperaturas em poucos minutos, podendo causar a liberação de vapores de polímero. Sempre tenha algum alimento ou líquido na panela ou frigideira antes de pré-aquecer;
  • Ventile sua cozinha. Ao cozinhar, lembre-se de ligar o exaustor ou abra as janelas e portas para ajudar a limpar a fumaça do local;
  • Evite cozinhar em fogo alto. Opte por cozinhar em fogo médio ou baixo e evite grelhar o alimento, pois esta técnica requer temperaturas acima das recomendadas para panelas antiaderentes;
  • Lavagem à mão. Lave-as de forma delicada com uma esponja, água morna e sabão. Evite utilizar palha de aço e esfregar muito para não arranhar a superfície antiaderente;
  • Use utensílios de madeira, silicone ou plástico. Utensílios de materiais como o metal podem causar arranhões e estragar a superfície, o que reduz a vida útil das panelas;
  • Substitua as panelas velhas. Quando os revestimentos de Teflon começam a se deteriorar visivelmente com descamação, lascas e arranhões excessivos, está na hora da panela antiga ser substituída por uma nova, para garantir a qualidade em seu uso.

 

Alternativas para panelas antiaderentes sem Teflon

A maioria das panelas antiaderentes modernas são consideradas seguras, se utilizadas corretamente. Sem o PFOA, não há riscos comprovados para os seres humanos nas panelas com Teflon. Contudo, se ainda houver preocupação com algum possível efeito à saúde, existem outras alternativas antiaderentes que podem melhor se adaptar ao estilo de vida de cada pessoa.

Veja a seguir uma lista com ótimas alternativas de panelas antiaderentes sem Teflon:

  • Aço inoxidável: é excelente para refogar e dourar alimentos, além de ser durável, resistente a riscos e lavável na máquina de lavar louça;
  • Grés: utilizado há milhares de anos, aquece uniformemente e é antiaderente quando temperado, além de também ser bem resistente a riscos e podendo ser aquecido a temperaturas muito altas;
  • Cerâmica: é um produto relativamente novo, mas que possui excelentes propriedades antiaderentes. Contudo, seu revestimento pode ser facilmente arranhado;
  • Ferro fundido: quando temperado adequadamente, esse material é naturalmente antiaderente. Dura muito tempo e suporta temperaturas bem altas, muito acima das consideradas seguras para panelas e frigideiras antiaderentes com Teflon;
  • Silicone: é uma borracha sintética utilizada principalmente em utensílios de cozinha e assadeiras. Não resiste muito bem ao calor direto, por isso é mais recomendada para assar.

* Esta ferramenta não fornece aconselhamento médico. destina-se apenas a fins informativos gerais, não pretende concluir nenhum diagnóstico e não aborda circunstâncias individuais. Não é um substituto do aconselhamento ou acompanhamento de profissionais da saúde. Alertamos que o diagnóstico e o tratamento não devem ser baseados neste site para tomar decisões sobre sua saúde. Jamais ignore o conselho médico profissional por algo que leu no www.saude.com.br. Se tiver uma emergência médica, ligue imediatamente para o seu médico.

Esta matéria pertence ao acervo do saude.com.br

brand

Um infinito de informações: saúde, meio ambiente, inclusão social, qualidade de vida e mais...