img

9 dicas para se alimentar de forma mais sustentável

Você sabia que é possível comer de forma mais ecológica e, ainda, economizar dinheiro?

Iniciativas sustentáveis podem começar em um lugar surpreendentemente simples - no seu próprio prato. A alimentação sustentável pode poupar recursos preciosos, reduzir sua pegada de carbono e apoiar sistemas alimentares mais éticos. E, além disso, também pode economizar dinheiro. 

Para seguir uma dieta ecologicamente correta, não é necessário comprar todos os ingredientes orgânicos ou produtos veganos ultraprocessados super caros. Confira abaixo 9 dicas para uma alimentação mais sustentável que não esgote a sua conta bancária.

 

Coma localmente

Se alimentar localmente significa apoiar a economia local, conhecer os agricultores próximos e experimentar os alimentos regionais. Alimentos cultivados perto de casa exigem menos transporte para chegar até você, o que reduz o uso e as emissões de combustíveis fósseis. Dessa forma, os custos também são menores. Ademais, quanto mais você investe em comer localmente, mais você consegue explorar novos sabores e alimentos interessantes, frescos e com menos agrotóxicos.

 

Coma sazonalmente

A sazonalidade é uma característica natural de todos os vegetais e plantas. Alimentos sazonais são colhidos de acordo com sua época de safra natural, em que a natureza os produz sem necessidade de intervenção tecnológica, o que assegura a qualidade nutricional do alimento e o uso reduzido de agrotóxicos, como pesticidas e conservantes. Os alimentos colhidos na estação tendem a estar no pico de maturação e sabor, além de serem ainda mais ricos em nutrientes. 

Com relação ao preço, os alimentos sazonais também tendem a ser mais baratos do que os comprados fora de época, por conta de sua produção abundante. Já do ponto de vista ambiental, a alimentação sazonal apoia os ciclos naturais de crescimento dos alimentos, pois realiza o cultivo de forma a respeitar o tempo de plantio e cultivo da natureza.

Além disso, comer sazonalmente anda de mãos dadas com comer localmente. Quando as culturas próximas são colhidas de acordo com seus ciclos naturais, leva menos tempo - e, portanto, menos recursos - para que cheguem ao seu prato.

 

Faça um plano de refeições

Planejar as refeições pode ajudá-lo a seguir uma dieta mais saudável, pois você controla exatamente o que vai comer e lhe permite fazer escolhas alimentares intencionais e nutritivas que se alinhem com os seus objetivos. 

Uma lista detalhada do que você precisa do mercado também ajuda a manter os gastos com alimentos sob controle, evitando compras por impulso e não desperdiçando tanta comida. O desperdício de alimentos tem grandes efeitos sobre o meio ambiente, sendo um dos itens mais comuns em aterros sanitários.

 

Coma suas sobras

Como mencionado acima, minimizar os alimentos descartados é uma ótima maneira de ajudar o planeta. Sendo assim, reaproveitar e comer suas sobras é uma ação importante. Além de reduzir o desperdício, isso evita que você gaste com novos mantimentos que realmente não precisa. 

Uma boa dica é tentar abordagens criativas nas sobras, como jogar frutas e vegetais extras em uma salada ou adicionar massa ou arroz extra a uma sopa.

 

Congele os alimentos

Congelar os alimentos é uma forma simples e acessível de preservá-los em casa, pois ajuda a evitar que eles estraguem com mais facilidade. Contudo, é necessário pesquisar antes de congelar algum item, já que cada alimento tem sua especificidade e cuidados específicos para não estragarem, mesmo estando no freezer.

Além disso, uma boa ideia também é congelar refeições prontas em marmitas, o que facilita a rotina de quem não tem tempo de cozinhar todos os dias.

 

Compre a granel

A compra de produtos secos a granel geralmente reduz bastante os custos, especialmente quando se trata de itens mais caros, como nozes, frutas secas e farinhas especiais. Ademais, você consegue comprar exatamente a quantidade de que precisa - em vez da quantidade que vem em um pacote -, então é menos provável que você desperdice comida. 

 

Coma menos carne (e mais plantas)

Consumir mais alimentos vegetais em vez de alimentos de origem animal pode ajudar o meio ambiente, melhorar sua saúde e, ainda, economizar dinheiro. O motivo ambiental principal é porque os produtos de origem animal contribuem para o excesso de gases de efeito estufa, uso da água e degradação da terra. Proteínas à base de plantas, como feijão e lentilha, geralmente custam menos da metade do que as carnes.

 

Plante um jardim

Dependendo da quantidade de alimentos que você cultiva, eles podem complementar suas refeições a um custo muito baixo. Um estudo descobriu que a jardinagem doméstica pode reduzir significativamente as emissões totais de gases de efeito estufa de uma família, pois também dá para praticar a compostagem de restos de comida.

Além disso, a jardinagem é considerada muitas vezes como um método de alívio do estresse, apesar de ser demorada. Segundo estudos, estar em contato com um jardim pelo menos duas vezes por semana aumenta a sensação de saúde e bem-estar das pessoas, reduzindo os sentimentos de estresse.

 

Evite alimentos ultraprocessados

Os alimentos ultraprocessados passam por diversos processos industriais e normalmente contêm muitos sabores adicionados, açúcares, gorduras e conservantes químicos, como biscoitos e cereais com sabor artificial. 

Dietas ricas nesses tipos de alimentos estão associadas a inúmeras condições de saúde, como obesidade, diabetes e até certos tipos de câncer. Além disso, os alimentos ultraprocessados prejudicam o meio ambiente por conta de sua grande pegada de carbono geral devido aos seus inúmeros ingredientes. 

Portanto, substituí-los por alimentos integrais nutritivos sempre que possível é uma ótima opção. Isso pode inclusive economizar dinheiro, já que alguns lanches saudáveis, como as frutas, costumam ser mais baratos do que os ultraprocessados.

* Esta ferramenta não fornece aconselhamento médico. destina-se apenas a fins informativos gerais, não pretende concluir nenhum diagnóstico e não aborda circunstâncias individuais. Não é um substituto do aconselhamento ou acompanhamento de profissionais da saúde. Alertamos que o diagnóstico e o tratamento não devem ser baseados neste site para tomar decisões sobre sua saúde. Jamais ignore o conselho médico profissional por algo que leu no www.saude.com.br. Se tiver uma emergência médica, ligue imediatamente para o seu médico.

Esta matéria pertence ao acervo do saude.com.br

brand

Um infinito de informações: saúde, meio ambiente, inclusão social, qualidade de vida e mais...