Buscar no site




















"Me sinto uma menina de 20 anos" - Dercy Gonçalves

Dercy Golçalves

Quando pensamos em fazer uma entrevista com Dercy Gonçalves já imaginávamos que não seria fácil. Porém, a dificuldade encontrada superou nossas expectativas. A musa do carnaval carioca foi procurada por muitos jornalistas ao mesmo tempo. Contudo, tantos telefonemas e insistência foram recompensados com as declarações da atriz.

Não há palavra melhor que se encaixe no perfil de Dercy Gonçalves do que polêmica. Há cerca de 13 anos, ela descobriu e operou um câncer no estômago. Hoje, aos 97 e cheia de energia, prepara-se para desfilar no Salgueiro como destaque em um dos carros alegóricos.

Nascida em 1907 na cidade Santa Maria Madalena, no Rio, a atriz conta que sua infância foi pobre, mas linda. A Arte veio ao seu encontro e, embora os parentes tenham dito que aquilo era “prostituição”, Dercy decidiu enfrentar o mundo. Começou sua carreira no teatro como cantora.

Hoje, ela olha para traz e avalia: “Improvisei sempre a vida” Confira agora a entrevista exclusiva que Dercy concedeu ao www.saude.com.br contando como recebeu a premiação de musa das musas do Carnaval 2004. Ela fala também sobre como vê doenças como o câncer, e de que forma encara a vida.

Aos 97 anos, o que você faz para manter a saúde?
Eu levo uma vida simples. Não bebo álcool porque não preciso de combustível, o ser humano não precisa de álcool. Não fumo há 20 anos, antes disso fumava quatro maços por dia. E não abuso do sexo.

Você tem alguma alimentação especial?
Não. Como a qualquer hora. Esse negócio de não poder comer antes de dormir é papo de médico para fazer média, o estômago não sabe o horário. Como quando sinto fome, meia-noite, uma hora da manhã. Só não como carne de porco, porque me dá cólica, acho ruim.

Pratica algum exercício?
Só faço exercício para evitar a compressão do nervo ciático. Foi meu neto quem me ensinou e é ótimo! Não confio em nada. Acredito muito na natureza, em Deus. Tomo gotas de flores, me cuido.

Tem alguma religião?
Minha religião é Deus. Não creio em santos, filosofias, nada disso. Acho que a base da vida está na humildade, educação, inteligência e cultura.

Há algum tempo, você descobriu que tinha câncer de estômago. Como encarou a doença?
No dia que o médico me deu a notícia, eu comprei um carro. Era branco, lindo. Depois fui operada e acabei me curando. O câncer é coisa da nossa cabeça. Quem fica deprimido e se entrega à solidão, desenvolve doenças e acaba morrendo.


Então qual é o segredo de tanta saúde?
Eu me sinto uma menina de 20 anos, não estou velha. Bebo muito soro caseiro com pó de guaraná, e por isso não fico resfriada, nem doente. Quem tem medo da velhice, não vive, morre. Além disso, não julgo nem condeno ninguém, cada um tem seus defeitos. Respeito isso.

Há pouco tempo você recebeu a faixa de musa das musas do Carnaval 2004 pelo Salgueiro. Como vê essa premiação?
O Salgueiro é uma vedete do carnaval, e eu sou apenas o enfeite da escola. Tenho muita satisfação, pois desbundei uma menina bonita. Acho o desfile da escola muito bonito, e vou ter prazer em fazer parte dele.

Que mensagem você transmite aos leitores do portal?
Gente é para pensar. Pensem! As pessoas devem se amar primeiro, viver dentro de si, para depois viver a vida.