Buscar no site




















Glaucoma

O que voce gostaria de saber

descriçao

É uma moléstia produzida pelo aumento da pressão no globo ocular, que prejudica o nervo ótico, e causa perda da visão. Essa pressão ocorre quando a corrente do líquido que circula pelo olho fica interrompida, quando o fluído é muito lento (glaucoma de ângulo aberto) ou porque o íris obstrui os ductos de saída (de ângulo fechado).

causas

Geralmente não são conhecidas, mas, via de regra, o glaucoma é hereditário. É mais freqüente entre os míopes e os diabéticos.

sintomas

O glaucoma de ângulo aberto não produz sintomas imediatos, mas eles geralmente aparecem quando o dano é irreversível. Exames oculares de rotina, medindo a pressão intra-ocular, permite a detecção precoce da doença. Quando aparecem os sintomas, pode apresentar: dores de cabeça, pequenas moléstias visuais, ou estreitamento da visão lateral. O glaucoma de ângulo fechado, em troca, apresenta sintomas súbitos: dor no olho - pelo repentino aumento da pressão - e dor de cabeça, diminuição da visão, feixes coloridos ao redor das fontes de luz e, depois, quando ocorre um ataque mais agudo, perda da visão e uma dor aguda no olho. Esses sintomas podem aparecer acompanhados por náuseas e vômitos, que podem levar a um diagnóstico errado. Quando o glaucoma se produz, a pupila não trabalha corretamente diante da presença de luz intensa, a pálpebra sofre uma inflamação e o olho lacrimeja e fica vermelho.

tratamentos

Uma ação imediata permite maiores possibilidades de sucesso no tratamento do glaucoma. A primeira intervenção no glaucoma de ângulo aberto geralmente é o uso de colírios prescritos pelo médico, que reduzem a produção de fluido no olho ou facilitam a saída. Quando isso não dá resultado, um cirurgião oftalmologista pode realizar uma terapia laser para abrir a saída. Durante um episódio de glaucoma de ângulo fechado, uma mistura de glicerina e água (prescrita pelo médico) ou certos colírios ajudam a reduzir a pressão. Depois da crise, serão aplicados tratamentos semelhantes para evitar a pressão alta. Também neste caso, a terapia laser permite evitar novos ataques e, inclusive, resolver a moléstia, criando um orifício no íris a fim de eliminar o acúmulo de líquido no olho. Um glaucoma secundário ocorre quando uma inflamação, um tumor, uma infecção, cataratas ou outras moléstias oculares, bloqueiam a circulação do líquido para o exterior. Nesses casos, o tratamento é estabelecido levando em consideração a origem do transtorno secundário.